Live Shopping: uma nova experiência para o consumidor. Como o aumento de transmissões ao vivo está mudando os hábitos dos clientes!
Empreendedorismo

Live Shopping: uma nova experiência para o consumidor

Como o aumento de transmissões ao vivo está mudando os hábitos dos clientes!

Durante a pandemia, acompanhamos uma série de mudanças no mundo, principalmente no âmbito comportamental.  Privados do deslocamento, da permanência em locais públicos e afastados da convivência até com nossos familiares, nos conectamos desesperadamente pelas redes sociais.

Nesse cenário, a Live Shopping revelou todo o seu poder. Trata-se de uma modalidade de vendas que nasceu há alguns anos na China e que se fortaleceu durante a pandemia. A ideia é apresentar produtos em tempo real, por uma transmissão via redes sociais e gerar negócios NA HORA!

Mas, como funciona?

 Um apresentador, que pode ser o proprietário da loja, um influencer, ou simplesmente alguém com desenvoltura,  divulga  marcas e serviços, esclarece dúvidas, fornece detalhes, oferece descontos e condições de pagamento exclusivas.

Esse “programa” é então transmitido pelo Instagram, Facebook, YouTube ou plataformas de e-commerce e, nesse caso, existe a comodidade do público se conectar ao carrinho de compras do e-commerce ou do market place das marcas, e adquirir na hora, o que é anunciado. A transação é feita em ambiente seguro, com os meios tradicionais de pagamentos de uma loja virtual.

 A estratégia que veio para driblar a distância entre ponto de venda físico e os consumidores parece ter vindo pra ficar e prova disso é que as lives só crescem como uma alternativa de mídia de grande impacto e uma nova forma de entretenimento. Ao invés de passear pelos corredores de um shopping, os consumidores se programam para acompanhar as transmissões de suas lojas preferidas.

Na China, a modalidade Live Shopping movimentou aproximadamente 691 bilhões de yuans (US$ 108 bilhões) no território nacional, em 2020, segundo os números do governo. Neste ano, a expectativa é de faturar US$138 bilhões, conforme levantamento do iResearch.

No Brasil, a ideia de vender pelas redes, em transmissões ao vivo, impulsionou o comércio eletrônico. Por aqui, esse setor cresceu 73,88% em 2020, de acordo com o índice MCC-ENET, criado pelo Comitê de Métricas da Câmara Brasileira da Economia Digital (camara-e.net), em parceria com o Movimento Compre & Confie.

Grandes varejistas tiveram boas experiências com esse tipo de ação, animando empresas de médio e pequeno porte, de todos os segmentos a se aventurarem também, independentemente da estrutura e até do tamanho das equipes.

Hoje, mesmo quem não tem um site próprio, adere à Live Shopping como a única vitrine e plataforma de venda. Os clientes que se manifestam durante a transmissão são contatados inbox e as tratativas para entrega e pagamento são conduzidas na sequência, pelo whatsapp.

A farta oferta de bancos digitais nas redes também colabora com os consumidores que preferem pagar com o cartão de crédito e ajuda muito os pequenos negócios, que sofrem com as taxas e mensalidades cobradas pelas administradoras tradicionais de cartão. Ou seja, o universo parece conspirar a favor das lives!

Será que eu posso aplicar ao meu negócio?

wayhomestudio – freepik

Quem opta por navegar na onda das transmissões ao vivo, tem companhia e a inspiração de grandes players. Em 2020, o mega aplicativo de entregas, Rappi, inovou ao realizar uma live pelo próprio app. Para isso, firmou parceria com o e-commerce de carnes especiais Debetti e com a marca de cerveja artesanal Colorado, da Ambev.

Na primeira Live Shopping da empresa, um chef preparou hambúrgueres e deu dicas de harmonização com a cerveja e durante a apresentação das receitas, os produtos citados eram vendidos pela metade do preço de catálogo. Foi sucesso! E detalhe: a compra era efetuada sem sair do app e entregue ao cliente, em minutos.

A gigante Lojas Americanas lançou o ‘Americanas ao Vivo’, nos moldes do que o e-commerce Alibaba oferece há anos, na China. Para apresentar as lives, a varejista contou com a influencer Camila Coutinho, abrindo espaço para outras marcas e celebridades seguirem o mesmo modelo. Farm e Chilli Beans entenderam o recado e criaram suas versões com outros famosos.

Mas nem só de grandes produções, esse universo é feito. Pequenos empreendedores podem seguir por esse caminho, com lives no Instagram ou Facebook, desde que o foco não seja na venda, mas na EXPERIÊNCIA DO CLIENTE!!!!

Freepik

Para isso, há um checklist que vai ajudar muito nesse início de jornada :

1º passo – Garanta uma boa conexão de internet. Isso ajuda a manter a qualidade de imagem e de som.

2º passo – Cuide do cenário! Deixe o espaço da transmissão organizado, se possível, com uma decoração simples, porém atrativa. Luz é fundamental para apresentar os produtos com clareza.

 3º passo – Para receber o consumidor e representar bem a sua marca, escolha um ‘apresentador’ desinibido, articulado e que saiba improvisar frente à câmera. É ele quem vai dar ritmo à live e manter a atenção do público.

4º passo – Certifique-se de ter em estoque os itens que serão divulgados. Feita a seleção de produtos, mantenha-os próximos ao apresentador para que ele possa utiliza-los na transmissão.

5º passo – Escreva um roteiro com as informações principais a serem transmitidas ao consumidor. Relembre sempre as formas de pagamento e entrega, pois o público é flutuante e algumas pessoas podem não ter acompanhado a live desde o início.

6º passo – Escale os amigos ou colaboradores para te ajudarem a atender os clientes e esclarecerem dúvidas, durante a apresentação.  Essas pessoas precisam estar informadas sobre as características dos produtos e ter acesso aos preços e formas de pagamento. Elas também poderão anotar os pedidos e coletar  dados para contatos posteriores.

7º passo – Realize sorteios de brindes ou brincadeiras ao vivo, com direito a presentes e descontos. Isso ajuda a manter o engajamento. Estimule o público a enviar a live para outras pessoas…isso ajuda a aumentar as visualizações imediatamente.

8º passo – Mais do que uma câmera na mão e várias ideias na cabeça, você precisa entender que essa é uma chance de ouro para se relacionar com os clientes! Em meio a tantos dispositivos que brigam pela atenção dele, ele escolheu a SUA LIVE. Conduza o processo com simpatia, empatia, bom humor e, acima de tudo, entretenha, inicie diálogos e facilite a vida de quem está do outro lado da tela.

Bora?

Etiquetas
Mostrar mais
Consultoria especializada em RFP e Contração de Contact Center e Soluções para Atendimento. | contato@customercentric.com.br Consultoria especializada em RFP e Contração de Contact Center e Soluções para Atendimento. | contato@customercentric.com.br

Claudia Campanhã

Jornalista, formada há 22 anos pela Universidade São Marcos, fez pós-graduação na FAAP, em Comunicação para Mídias Sociais. Atuou como Assessora de Comunicação de grandes players dos segmentos de moda, arquitetura, decoração e gastronomia, sendo responsável pela implementação e presença digital de empresas como Altenburg e Capricórnio Têxtil. Em 2007 criou a Campanha Comunicação, bureau de branding content e de produção de podcasts, para atender empresas de diversos segmentos e de todos os portes, colaborando com a construção de autoridade junto ao público, nas mídias sociais.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar