TecnologiaTransformação Digital

Transformação digital exige estrutura multiplataforma de lojas virtuais

A pandemia de covid-19 acelerou a transformação digital entre consumidores e varejistas e as vendas digitais tornaram-se a melhor alternativa para as empresas seguirem operando.

Não há como negar que o comércio eletrônico viveu em 2020 um de seus melhores anos. A pandemia de covid-19 acelerou a transformação digital entre consumidores e varejistas e, com medidas de prevenção que recomendam o fechamento da maioria das atividades econômicas, as vendas digitais tornaram-se a melhor alternativa para as empresas seguirem operando. Dessa forma, mais lojas passaram a desenvolver seus sites para conseguir vender on-line e, assim, manter a rentabilidade do negócio em dia. É uma iniciativa válida, sem dúvida, mas atualmente não basta criar uma versão on-line; é preciso que a estrutura seja multiplataforma para dar conta das novas demandas que surgem diariamente.

Isso porque o e-commerce brasileiro também passou por transformações e nunca mais será o mesmo após 2020. Dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), em parceria com a Neotrust, indicam crescimento de 68% nas vendas virtuais em 2020 na comparação com o ano anterior (pré-pandemia). Como resultado, a participação dos canais on-line no faturamento do varejo como um todo praticamente dobrou no período, graças à entrada de 20 milhões de novos consumidores nesse meio e de 150 mil lojas que passaram a vender também em plataformas digitais – número que só tende a aumentar com o avanço do novo coronavírus neste primeiro semestre de 2021.

São consumidores que descobriram que, sim, é possível comprar diversos itens de forma on-line, no aconchego de sua casa e sem comprometer a segurança de suas informações financeiras. Por conta disso, esse público espera que as empresas, independentemente de serem novatas ou veteranas no comércio eletrônico, entreguem sempre a melhor experiência para continuar comprando digitalmente e sentir menos o impacto das restrições impostas pela pandemia. Assim, as empresas operam num paradoxo: ainda que a tecnologia seja mais fácil e acessível para criar uma loja virtual do que há cinco anos, a exigência e eficiência esperadas são infinitamente maiores. Não há mais margem para erro na transformação digital.

É por conta disso que a estrutura multiplataforma surge como principal alternativa para negócios que desejam abrir ou expandir sua atuação on-line. É um novo movimento dentro das soluções de tecnologia para o comércio eletrônico. Há pouco tempo, o mais recomendado era contratar ferramentas sob medida, ou seja, com características que atendem exclusivamente ao negócio. Mas e num cenário de intensa transformação, em que é praticamente impossível saber o que vem pela frente de tendência? É mais vantajoso ter uma única plataforma, mas com várias funcionalidades nativas, e ir utilizando conforme a demanda aparecer.

A vantagem é que as lojas virtuais, principalmente aquelas que estão começando a entrar no universo de transformação digital, não precisam se preocupar com as integrações entre os mais diferentes sistemas e plataformas. Afinal, as principais já estão desenvolvidas e conectadas na estrutura multiplataforma, como o ERP e o sistema de e-commerce. Além disso, os melhores fornecedores proporcionam fácil conexão com outras funcionalidades igualmente importantes, como CRM para o marketing, sistemas logísticos para entregas, entre outras.

O comércio eletrônico está propício para a entrada de novos lojistas, mas é bom ter cuidado. Não é porque o cenário macro está em alta que automaticamente seu negócio irá bombar na web. Pelo contrário, é preciso estar atento às tendências e soluções que surgem rotineiramente nesse segmento. Saber escolher os melhores parceiros de tecnologia é um passo importante para o sucesso não apenas durante a pandemia, mas principalmente após a doença. Essa escolha passa, sobretudo, pela estrutura multiplataforma capaz de abrigar tudo aquilo que o empreendedor precisa, mas nem desconfia ainda.

*Luan Gabellini é sócio-diretor da Betalabs, empresa especializada em tecnologia para e-commerce e clubes de assinatura

Etiquetas
Mostrar mais
Consultoria especializada em RFP e Contração de Contact Center e Soluções para Atendimento. | contato@customercentric.com.br Consultoria especializada em RFP e Contração de Contact Center e Soluções para Atendimento. | contato@customercentric.com.br

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar